Os segredos dos corredores quenianos para correr mais rápido

 

Muito se especula sobre a dominância dos corredores quenianos nas corridas de rua. Existem muitas teorias a respeito, a velha discussão da influência da genética e do treinamento sobre a performance. A maioria dos corredores quenianos de destaque nasceram e cresceram em grandes altitudes. Correr em grandes altitudes supostamente aumenta a capacidade pulmonar porque os corredores crescem acostumados com o ar rarefeito. Mas se a altitude fosse o único determinante da performance os sherpas nepalenses seriam os melhores maratonistas do mundo.

Minha opinião pra a razão dos corredores quenianos aponta para 2 outros fatores: o tipo de treinamento e a economia de movimento (lê-se técnica).

A TÉCNICA DE CORRIDA DOS QUENIANOS

A técnica de corrida dos quenianos tem 4 pontos principais:

  • postura ereta com o corpo levemente inclinado para a frente,
  • uma cadência alta de passadas (por volta de 180 passadas por minuto),
  • pisada com o meio do pé e joelhos levemente flexionados
  • passos curtos, carinhosamente chamados por mim de “passinho da vovó”. Não que os quenianos corram as provas com passadas curtas, pelo contrário, suas passadas são grandes, mas o paradigma encontra-se aí, treinar com “passinhos da vovó” desenvolve a correta mecânica da passada. (Leia também Correr descalço pode ser menos lesivo do que você imagina)

Dessa forma os quenianos usam menos energia para correr e conseguem aliviar o impacto sobre os joelhos. Tente adotar essa técnica gradualmente experimentando correr com passos mais curtos e cadência de passadas altas. Tenha em mente que dessa forma o esforço passa para os músculos da panturrilha, glúteos e para os músculos posteriores de coxa.

 

Repare na postura e na passada dos corredores quenianos.

O TREINAMENTO DOS QUENIANOS

O grande segredo do treinamento na minha opinião está na forma como eles treinam. Você já deve ter assistido várias provas onde os quenianos se colocam no meio do pelotão e quando decidem imprimir seu ritmo ninguém aguenta acompanhá-los. Eles usam uma estratégia simples, dividem sua prova negativamente.

O que é isso? Isso nada mais é do que fazer a segunda metade da prova mais rápida do que a primeira. A maioria dos recordes mundiais no atletismo de fundo foram batidos dessa forma, correndo a segunda metade da prova mais rápido do que a primeira metade.

O negativo, na verdade, é bem fácil de ser treinado. Basta que durante suas séries de treinamento intervalado (ou tiros) você tente fazer com que ao longo do treino você aumente a velocidade dos tiros. Por exemplo, se você for fazer 5 tiros de 1km e quiser manter o ritmo de 5’/km (12km/h) ao longo da série faça o seguinte: faça os 2 primeiros tiros em 5’10”/km (um pouco mais lentos), o 3º e 4º tiro para 5’/km e o tente fazer o ultimo tiro para 4’40”-4’50”/km. Na média, você acaba correndo no tempo que você queria mas dividindo a série dessa forma você “ensina” o seu corpo a conseguir correr forte mesmo quando cansado. (Leia também Os novos benefícios do treinamento intervalado)

Simples, não? Experimente adotar essa abordagem nos seus treinos e sinta a diferença!

 

Gostou de nossos artigos e quer recebê-los por email? É só clicar aqui!

Conheça os nossos programas de treinamento!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *